Google diz ter removido anúncio de Bolsonaro que relaciona Lula a queimadas na Amazônia

O presidente Jair Bolsonaro, candidato do PL à reeleição, faz nesta quinta-feira (27) campanha no Rio de Janeiro. A três dias do segundo turno da disputa presidencial, o candidato participou de carreata na Baixada Fluminense.

Ao lado de apoiadores, Bolsonaro saiu de Belford Roxo com destino a São João de Meriti, onde realiza comício. Esta quinta-feira é o último dia para a realização de comícios pelos candidatos nestas eleições, conforme a legislação eleitoral.

À tarde, conforme a programação divulgada pela campanha, o presidenciável do PL participa de ato na Praça da Igreja de Nossa Senhora do Desterro, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio.

No primeiro turno, o candidato do PL derrotou Lula no Rio de Janeiro, estado pelo qual Bolsonaro foi eleito deputado federal sete vezes. Ele recebeu 4,8 milhões de votos (51,09%) na primeira rodada, enquanto Lula teve 3,8 milhões (40,68%).

Na reta final, Bolsonaro focou suas ações de campanha na região Sudeste. Nesta quarta-feira (26), em menos de 10 horas, o candidato do PL cumpriu agendas três cidades do interior de Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral do país.

O Google confirmou a remoção de um anúncio do presidente Jair Bolsonaro (PL) que relaciona o ex-presidente Lula (PT) a queimadas na Amazônia.

"Governo Lula é recordista em queimadas na Amazônia; foram 2,5 milhões de focos de fogo. A verdade sobre o meio ambiente", dizia a publicação que ainda estava acompanhada de um link que redirecionava para o site de campanha de Bolsonaro.

O anúncio aparecia por volta de 8h de quarta-feira (26), mas a resposta oficial do Google com a retirada foi enviada às 21h. Na manhã desta quinta-feira (27), não havia mais informações sobre o assunto na página do buscador.

"Temos políticas robustas que proíbem anúncios que não descrevem com precisão o que o usuário encontrará no site de destino. Quando identificamos anúncios desse tipo, agimos imediatamente. Nossa equipe revisou o anúncio em questão e o mesmo foi removido".



Categoria:Politica

Deixe seu Comentário